Marte poderia ter oxigênio suficiente para permitir vida

São Paulo – A busca por condições que possam permitir a vida em Marte ganha mais um capítulo promissor. Um estudo da NASA publicado na última segunda-feira (22) sugere que a eventual presença de água salgada na superfície do planeta poderia conter oxigênio dissolvido em quantidade suficiente para permitir a existência de micróbios e organismos até mais complexos, como esponjas.

“Ninguém pensou em Marte como um lugar onde a respiração aeróbica funcionaria porque há muito pouco oxigênio na atmosfera”, disse Vlada Stamenkovic, cientista da NASA que coordenou o estudo, publicado no periódico Nature Geoscience . “O que estamos dizendo é que é possível que este planeta, tão diferente da Terra, possa ter dado uma chance à vida aeróbica.”

A equipe também indicou lugares em Marte que seriam mais propícios para a existência das salmouras, ou lagos salgados, com grandes quantidades de oxigênio dissolvido. Dessa forma, a NASA saberia melhor para onde enviar suas futuras missões.

Condições difíceis no planeta vermelho

Apesar de ser o planeta mais explorado e mais provável de apresentar condições que permitam a vida no futuro, Marte ainda reúne condições muito adversas, o que torna as pesquisas um verdadeiro desafio para a humanidade. Na Terra, 21% da atmosfera é composta de oxigênio, graças à abundância de plantas e outros organismos que fabricam a molécula pela fotossíntese. Em Marte, essa presença é de apenas 0.145%, de acordo com dados coletados por robôs.

Além disso, a atmosfera do planeta vermelho é 160 vezes mais fina que a terrestre. A temperatura também varia muito, frequentemente chegando -73 graus Celsius, o que manteria a água em estado sólido e dificultaria sua liquefação. É aí que entra o diferencial da água com grande concentração de sal, pois ela é capaz de permanecer em estado líquido sob temperaturas menores que a água não salgada.

Estudando a água salgada

Na primeira parte do estudo, os autores usaram modelos computacionais para mostrar que a água misturada com sais já presentes em Marte pode ficar estável em um estado líquido na superfície do planeta ou perto dela. Uma vez convencidos de que as salmouras podem existir, o próximo passo foi determinar a quantidade de oxigênio que elas são capazes de absorver. A conclusão foi de que a água salgada absorve mais oxigênio quando a temperatura é menor e a pressão do ar é maior.

Agora, os cientistas pretendem testar a descoberta com micro-organismos e entender como se dá seu desenvolvimento nestes ambientes.

Posteriormente, Stamenkovic quer desenvolver uma nova ferramenta do tamanho de uma caixa de sapatos, que poderia ser usada para encontrar água em Marte e determinar sua salinidade, sem a necessidade de cavar.

Fonte:Exame

Facebook Twitter Google+ linkedin email More
Copyright © GUIA WEST - Sistema de Guia Comercial